Os 20 melhores de Horas Sombrias – Andross Editora

Vi como uma obrigação mostrar ao mundo os 20 melhores contos da antologia Horas Sombrias (organização de Alfer Medeiros) na qual eu também participo!

Confira a lista dos 20 colocados logo abaixo!

(Lembrando, é claro, que os vinte escolhidos foram pescados de acordo com o meu gosto literário!)

 

capa horas sombrias

 

1° – A OUTRA CASA – Paola Giometti

O conto da Paola me deixou em estado de choque, eu admito. Foi simplesmente aterrorizante do início ao fim e deparei-me estática, olhando para as mesmas palavras finais diversas vezes. Foi necessário ler o conto CINCO vezes seguidas para poder dizer um balbuciante “Meu Deus”. Brilhante!

2° – CAIXA PRETA- Carlos Gonçalves

Calças borradas com o final de CAIXA PRETA: check.

Nunca mais na minha vida vou dormir sem antes olhar para trás. Jesus.

3° – O VIZINHO SUSPEITO – Soraya Abuchain

Soraya me enganou direitinho, do começo ao fim. Só ao ler as últimas linhas eu tive aquele CLICK que liga todas as pessoas. Vê se pode um fim desses? Aterrorizante. Deu vontade de ir dormir com meus pais. #socorro

4° – TÁXI – Luana Navarro

MA-CA-BRO (no melhor sentido!). Que mente! Que criatividade! Luana tirou meu fôlego – e eu estava desesperada com o possível fim do conto. Mas no fim só um cidadão morreu com ALGUMAS facadas. Amém.

5° – HAIL – Marina Feijoó 

Achei que foi o conto mais “eternal love” do Horas Sombrias. E, apesar disso, Marina mostrou uma criatividade espetacular e um talento latente. Foi incrível e delicioso o final – além, de, é claro, sinistro.

6° – CASTIGO – Willy Gomes

O que dizer sobre o conto de Willy? Tirou meu chão. Acabou com meu coração. E me fez prometer – a mim mesma – a ser uma pessoa melhor….

7° – É À NOITE QUE TUDO ACONTECE – Thais Pampado.

Noites sem dormir? Ok. Calças borradas? Ok. Dormir com um olho aberto depois de semanas? Ok. Pensar seriamente em viajar até a cidade da Thais para abraça-la durante logas horas? Completamente ok. Que conto tenebroso. Que talento. Que fim surpreendente.

8° – O REGURGITAR DAS ALMAS – Felipe Drummond

#chateada com o Fê! Que fim pavoroso! Que conto alucinante! Meu Deus! Eu não sabia se chorava, berrava, jogava o livro no chão (eu NÃO fiz isso, se acalmem) ou ia até o Rio, dar uma surra no Felipe. Sinceramente, a terceira opção tá bem válida ainda. Tirando isso os detalhes, as descrições e o cenário meio “etéreo” foi bem…. arrepiante.

9° – CHUVA NEGRA – Eduardo Novaes 

Meu cérebro deu nó total. Além, é claro, de quase me fazer enfartar, Eduardo me fez mergulhar em um mundo pós-morte (aos meus olhos) surpreendente – e me mostrou, que, às vezes, as respostas são mais tenebrosas do que esperamos. O talento dele fica claríssima palavra após palavra e eu fico me perguntando como seria um livro de terror de Eduardo…. Stephen King que se cuide!

10° – SOFIA – Wellington Novaes

Confesso que fiquei confusa com o fim, mas eu amei. Amei os dilemas do personagem, e amei o conflito de sentimentos, de emoções. O conto não é totalmente aura negra e tenebrosa, mas é assustador. Meu atestado de quase AVC pode provar isso.

11° – OS TRÊS IRMÃOS – Gunther Schimidt de Miranda

Meu queixo arrastou no chão com o fim desse conto. O escritor sacaneou meus sentimentos, de verdade. Eu torcendo por um fim mais…. “novela” (apesar de estar bem consciente da temática da antologia, Adrielli, sua der) e ele destroça meu coração.

Mas, realmente, o mundo é dos injustos (na maioria das vezes).

E o talento de Gunther é admirável. A cena de ação ficou incrível!

12° – VOCÊ GOSTA? – Rhuan Marcelino

Fiquei com medo da mente do Rhuan. Foi como… foi como ver como um sociopata pensa. Foi muito aterrorizante. Foi surreal. E, o fim, deixando aquele gostinho amargo & doce de QUERO MAIS foi totalmente injusto da parte do autor. #émaisdoqueumconto

 

13° – PERFUROCORTANTE – Fernando Medici 

Que eu me borrei de medo durante a leitura de Horas Sombrias não é novidade, mas o conto de Fernando foi de parar o coração, minha gente. Tanto eu, quanto a minha irmã, terminamos de olhos arregalados e suando frio. O começo doce se mostra completamente insano o que mostra como Medici pode dominar as palavras e fazer delas o que quiser!

P.S.: Nunca leiam à noite, como eu fiz. Vai por mim.

 

14° – NATÁLIA – Gabriel Queirolo

O fim de Natália foi incrível. Triste, mas incrível. Dei umas fungadas básicas, é claro.

O talento de Gabriel é gritante. Foi um verdadeiro espetáculo de emoções dentro de mim – e um completo show de palavras da parte dele.

 

15° – BATIDAS NA PORTA – R. M. Paiva

O fim desse conto partiu meu coração. As palavras “não pode ser” invadiram minha mente depois do término da leitura. Paiva foi cruel com o fim de Ângela. Ou começo. Ou situação já acontecida. Enfim. Foi um dos melhores contos, com certeza.

16° – A DAMA DE AREIA – Rafael M. Piergiorge

Sinistro do começo ao fim. E, principalmente, no fim. Foi aterrorizante. Foi muito aterrorizante. Gente, que fim. Pra quê dormir de luz acesa depois desse conto, não é? Ai, senhor. Rafael mostrou-se brilhante, sinistro e maravilhoso com sua escrita e criatividade. Escritor nota dez!

17°- RUA MAVEROCK – Bruna Ribeiro

Se eu pudesse mudar um fim, mudaria isso. Maldade o que a Bru fez com a personagem dela! Mas são ossos do ofício, né gente? Mesmo assim: os detalhes são incríveis, os diálogos de gelar a espinha e as Criaturas Indefinadas no conto dela são de arrepiar os pelos da nuca. Um conto incrível, de uma escritora incrível ♥

18°- O SOFÁ – Eduardo Tordek

Horas Sombrias é lotado de contos muito macabros e tensos, mas o sofá é o melhor. Foi terrível e maravilhoso (sim, ao mesmo tempo) o fim dele. Eduardo tem um dom inexplicável! Foi absurdo! Foi incrível! Foi tenebroso! E

19° – O CORPO DA LINHA DO TREM – Fernanda Xavier

O fim desse conto foi de gelar a espinha e arrepiar os pelos da nuca. Nunca mais sentirei tanto medo assim na minha vida. Fernanda apresenta um conto totalmente…

20° – MAMULENGOS – Irineu Albuquerque 

Assutada com o fim desse conto. Um pouquinho chocada. E um pouquinho – juro que é só um pouquinho – traumatizada com o fim desse conto.

Minha – a sua, as nossas – vida é uma mentira?

Fiquei toda arrepiada ao terminar de ler. Irineu acabou com qualquer pensamento lógico que eu tinha. Inacreditável. Foi uma mistura de palavras que fez uma mistura de sentimentos dentro de mim.

 

 

Horas Sombrias reuniu um time de autores (iniciantes ou não) ENORME e fantástico. Todos dotados de talento e capacidade – caso contrário não estariam na antologia. Alguns contos mexeram comigo de verdade, mas como só dava 20 eu dei umas cinquenta peneiradas pra poder deixar apenas 20 escritores/contos.

Espero que tenham gostado do Ranking ♥ E fica o convite para todos os autores da antologia fazerem seus próprios Rankings!

 

Mil beijos,

Adri ♥

(Ah, sim: quem quiser comprar a antologia eu tenho alguns exemplares! Se falar que leu o post do Feita de Letra eu banco metade do frete! É só chamar no Facebook!)

 

 

 

Anúncios

5 comentários sobre “Os 20 melhores de Horas Sombrias – Andross Editora

  1. Muito boa a sua análise! Eu acho legal compartilhar impressões sobre obras literárias, inclusive quem participou do processo criativo!
    Você iniciou nossas listas de top 20 com o pé direito! Aguardemos as próximas.
    Parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s